Mosca, mas que raio
de nome é esse?

Porquê Mosca?

Toda a gente nos tem perguntado o porquê do nome Mosca. A resposta mais fácil seria dizer que é um nome de fácil memorização e que carrega em si todas as caraterísticas que queremos para esta nova agência: irreverência, descontração e a capacidade de acertar na Mosca.

Temos de ter mil olhos como uma mosca

Outras agências mais pretensiosas diriam que o nome Mosca se deve ao facto de, no mundo da comunicação atual, termos que ter mil olhos para podermos seguir todos os diferentes meios e tendências. Tal e qual uma Mosca, que consegue ver em todas as direções.

 

O Barão de Mosca

Mas a verdadeira história do nome Mosca deve-se ao retrato de Marcus Pedro D’Alcântara e Mosca (circa 1720 – circa 1813), 1º Barão de Mosca por carta d’El-Rei D. José de 29 de Fevereiro de 1763.

Marcus Pedro D’Alcântara e Mosca

Teve o ofício de Alcaiote do Rei, Senhor Donatário de Salsas e Comendador da Mosca do Tua, na Ordem de Santiago. Grande propagandista no reinado de D. José, é considerado o primeiro publicitário português. Caído em desgraça em 1765, por uma suposta relação amorosa com uma das amantes reais, terá fugido de Lisboa, numa nau que apanhou na ribeira de Alcântara, para destino incerto. A última notícia do Barão de Mosca dá-o como conselheiro privado do Bey de Tunes, Hammuda ibn Ali. O retrato foi pintado em 1764 por Giacomo Truffatore e foi restaurado pela Academia das Artes de Bugia em 1973. Foi adquirido em 2013, num antiquário em Alcântara, pela Mosca Publicidade.

As armas do Barão de Mosca

As armas do Barão de Mosca (Marcus Pedro D'Alcântara e Mosca)

DESCRIÇÃO

As armas do Barão de Mosca brasonam-se em campo de prata, três moscas de azul. O escudo assenta numa cartela cor-de-rosa, folhada de verde, e é encimado por coronel de barão, tendo por timbre uma cornucópia e uma trombeta da fama, ambas de ouro, a segunda atada de vermelho.

SIMBOLOGIA

O campo de prata representa a candura das acções e pensamentos mediante os quais o Barão de Mosca arrecadou sua fortuna. As moscas são um elemento falante, alusivo quer ao nome de família, quer ao título nobiliárquico que veio coroar uma carreira toda ela feita à sombra e posta ao serviço da majestade régia. Inéditas até então no brasonário português, elas exprimem o inusitado favor com que o Rei quis agraciar esse seu fiel servidor. O coronel demonstra o grau de nobreza alcançado. O timbre alude duplamente às acções de propaganda (a trombeta da fama) que estiveram na base do sucesso do Barão de Mosca, e à riqueza (a cornucópia, símbolo de abundância) que veio recompensá-las. O mote evidencia o princípio básico que norteou as escolhas empresariais do titular nos seus diversos negócios.